8 Principais Indicadores Financeiros para sua Gestão

Você utiliza algum dos 08 Principais Indicadores Financeiros na gestão da sua empresa?

Se sim, entende o que eles te dizem e faz uso dessas informações?

Se não, sente falta de informações lhe ajudem na tomada de decisões sobre o negócio?

 

Para que servem Indicadores?

Os 08 Principais Indicadores Financeiros são usados para retratar a situação do negócio em determinado período. Eles compilam um conjunto de dados que ocorreram no passado e informam a relação entre duas ou mais áreas da empresa (ex: vendas e custos, caixa e despesas, endividamento e etc).

 

Indicadores financeiros também fazem parte da construção da Base Histórica de Dados da empresa. Por exemplo, ao apurar o Índice de Inadimplência do período que fechamos agora, você precisará compará-lo ao seu histórico mensal para saber se ele está alto ou não, de acordo com seus padrões e metas.

 

Baseado nessa comparação com o histórico, seu setor financeiro poderá desenvolver um plano de ação para diminuir a inadimplência caso ela esteja mais alta do que os padrões históricos observados.

 

Logo, com a implementação dos 08 Principais Indicadores Financeiros, as decisões da sua gestão estarão mais alinhadas com a realidade da empresa.

 

O que eu preciso para implementar meus indicadores?

Antes de qualquer indicador, você precisa ter o seu financeiro funcionado (entenda como deixar o seu financeiro redondo neste artigo). Seus processos precisam estar bem definidos e precisam ser conhecidos por quem executa as atividades. Sua Conciliação Bancária, Contas a Receber, Contas a Pagar, Fluxo de Caixa e Apuração de Resultados precisam estar funcionando sem tropeços.

 

Não obstante, sua base financeira não poderá rodar onerando todo o tempo disponível da sua equipe, pois, eles precisarão de mais tempo para calcular e analisar os indicadores. Se a sua equipe está sem tempo procure uma ferramenta que automatiza processos da área financeira para que seu time consiga incorporar a análise dos 08 Principais Indicadores Financeiros na rotina.

 

Indicadores

 

1 – Margem de Contribuição: esse indicador lhe diz quanto sobra de cada serviço vendido, deduzidos os custos e despesas variáveis, para o pagamento das despesas e custos fixos e para a geração de lucro. O objetivo da Margem de Contribuição é entender se seus gastos fixos estão inviabilizando seu lucro, mesmo com o negócio vendendo bem.

 

Para o cálculo deste indicador é necessário que seus custos/despesas estejam muito bem segregados entre fixos e variáveis no seu controle financeiro. A apuração é feita da seguinte forma:

 

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

 

Então observe que, quanto menor for a Margem de Contribuição, mais a sua empresa precisará vender para cobrir os gastos fixos e obter lucro. Se esta conta não estiver fechando no seu negócio, este é o momento de reavaliar a necessidade dos seus gastos fixos e cortar o que não for essencial.

 

2 – Margem Líquida: este indicador informa o lucro em relação às vendas da empresa. Ou seja, o que sobra para os donos do negócio ao fim de um período. Para Calcular a Margem Líquida, basta dividir o Lucro Líquido pelo total de vendas e apurar o percentual, conforme abaixo:

 

Margem Líquida = (Lucro Líquido/Vendas) x 100

 

Podemos ler o resultado desse indicador como o percentual de lucro líquido que a empresa teve para cada serviço vendido.

 

3 – Ponto de Equilíbrio: o ponto de equilíbrio nos informa a receita mínima que o negócio precisa ter para pagar todas as suas despesas e custos. Ou seja, quanto precisamos para ficar no “zero a zero”. A principal informação que podemos tirar desse indicador é de quanto precisaremos vender para ao menos não termos prejuízo. Vamos ao cálculo:

 

Ponto de Equilíbrio = Despesas Fixas / Margem de Contribuição

 

Ao fazer esse cálculo, leia que seu negócio precisará vender um valor R$ XX,XX para cobrir todos os seus gastos.

 

4 – Índice de Inadimplência: não é um indicador de complexidade alta, porém, é um número para ser sempre observado com atenção, pois, o crescimento dele implica na diminuição do fôlego financeiro da empresa. O seu caixa é diretamente afetado. Vamos ao indicador:

 

Índice de Inadimplência = (Vendas Não Recebidas no Período / Vendas Recebidas no Período) x 100

 

Vamos supor que o seu índice de inadimplência seja de 10%. Podemos entender então que a cada R$ 100,00 vendidos, R$ 10,00 não serão recebidos. Pelo menos não serão recebidos dentro do prazo negociado. Se o seu indicador crescer para 15%, entende-se que você terá menos dinheiro entrando no seu caixa e consequentemente seu fôlego financeiro diminuirá.

 

5 – Índice de Endividamento Geral: para calcular esse índice você precisará entender o que são o Ativo e o Passivo da sua Empresa.

Ativo; são todos os bens e direitos da empresa. Entenda os mesmos como o dinheiro em caixa, imóveis, móveis e utensílios, maquinário, mercadorias em estoque (bens) e contas a receber e empréstimos a receber (direitos).

 

Passivo; são todas as obrigações da empresa. São elas, salários a pagar, empréstimos a pagar, fornecedores a pagar, impostos e etc.

 

O melhor lugar para você encontrar esses dados consolidados, para que você possa seguir com o cálculo do seu Índice de Endividamento Geral é o Balanço Patrimonial. Peça ao seu contador para lhe apresentar o da sua empresa.

Vamos ao cálculo:

 

Índice de Endividamento Geral = (Passivo / Ativo) * 100

 

Ao fazer essa conta, você poderá informar à gestão da sua empresa o percentual dos bens e direitos da empresa que está comprometido com as obrigações, ou seja, o Índice de Endividamento Geral (IEG). Imagine que o seu IEG apurado no último período foi de 25%.

 

Se o seu Ativo vale R$ 50.000,00, você pode dizer que R$ 12.500,00 estão comprometidos com obrigações/endividamento. Monitore este índice, para que ele não suba muito.

 

6 – Ticket Médio: este é outro indicador simples, porém que deve ser acompanhado muito de perto. O Ticket Médio nos diz o valor médio que os clientes gastam com o nosso negócio. Todo acréscimo ou decréscimo do mesmo afetam diretamente o negócio e precisam ser analisados.

Cálculo:

 

Ticket Médio = Total das Vendas / № de Clientes Que Compraram

 

Bem simples mesmo, divida o valor total das vendas de um período pelo número de clientes que geraram tais vendas e você terá em mãos o valor médio que os clientes gastam na sua empresa.

 

7 – Índice de Lucratividade: veja bem, não podemos confundir a Lucratividade com a Rentabilidade. No caso da Lucratividade estaremos analisando a relação entre o lucro líquido da empresa e o valor das vendas. Poderemos entender qual percentual das vendas é o lucro do negócio. Calculamos da seguinte forma:

 

Índice de Lucratividade = (Lucro Líquido / Receita Total) x 100

 

 

8 – Índice de Rentabilidade: tratando-se da Rentabilidade, estaremos analisando a relação do lucro líquido com o valor investido no negócio. Podemos interpretar como o desempenho do investimento, a rentabilidade do capital aplicado. Cálculo:

 

Índice de Rentabilidade = (Lucro Líquido / Investimento Inicial) x 100

Índice de Rentabilidade = (Lucro Líquido / Valor Atual da Empresa) x 100

 

A Rentabilidade da empresa pode ser calculada dessas duas formas. Na primeira você avalia o desempenho do seu investimento inicial. Porém, com o passar do tempo, a empresa poderá valer mais ou menos, logo, é interessante também calcular a Rentabilidade do negócio em relação ao valor atual da empresa.

 

Com esses indicadores você vai agregar valor na gestão do seu negócio ou da empresa na qual você trabalha. Não se esqueça! Só vai fazer sentido você calcular todos os indicadores se o fizer ao menos mensalmente, compará-los com o histórico e elencar as principais razões das variações dos números.

 

Dessa forma, você estará levando informações de qualidade para a gestão e contribuindo para que as decisões priorizem sempre o lucro e o crescimento do negócio. E essa também é uma ótima forma de você mostrar e destacar o seu trabalho dentro da empresa.

 

Quando você tem uma ferramenta que automatiza os processos da área financeira, você conseguirá ter mais tempo para analisar os seus indicadores e a saúde financeira do negócio.

 

Conheça o Bauner, o melhor sistema de gestão financeira, 100% online (sem instalação), que automatiza seus processos e te entrega um ganho alto de eficiência e produtividade.

 

Sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *